segunda-feira, 1 de setembro de 2008

DIABO DELICADO




Quando um demônio beija um colibri,
todo meu ardor voa com penas de anjo.
Minha paz é um demônio beijando um colibri,
um delicado diabo tocando banjo.

Quando leio a partitura dos gritos dos meus demônios,
entendo todo esse enorme inferno de ser feliz.
A alegria toca violinos de fogo nos meus sonhos
e faz demônios beijar meus colibris.


(Carlos Correia Santos. Do livro Delicare)

Um comentário:

Tiago Nomack disse...

Opa Carlos!! Muito bom o blog!!
Infelizmente não posso comentar muito sobre o texto, afinal de contas o que um mero leitor como eu poderia dizer sobre as palavras de um grande escritor?
Mas o layout, e aí sim eu posso opinar eheheh, tá muito show!! Um visual que combina com os demônios e colibris =D