domingo, 14 de junho de 2009

JÚLIO IRÁ VOAR VOLTA À CENA



Apresentação especial da peça em Belém abre a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Por Fábio Gomes - Assessoria de Imprensa Brasileirinho

O lançamento em Belém (PA) da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia será marcado por uma apresentação especial da peça Júlio Irá Voar, do dramaturgo Carlos Correia Santos, nesta terça-feira, 26 de maio, num evento para convidados. A cerimônia deve contar com a presença da governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, e do pesquisador Luis Carlos Bassalo Crispino, que fará uma palestra sobre o poeta, jornalista e inventor cuja trajetória é retratada na peça, Júlio Cezar Ribeiro de Souza, descobridor dos princípios da Aerodinâmica e um dos quatro grandes gênios mundiais da navegação aérea.

Paraense de Acará, Júlio Cezar Ribeiro de Souza (1843-1887) foi um pioneiro na construção do primeiro balão dirigível do mundo, na década de 1880. Mesmo patenteado em vários países, seu invento foi plagiado pelos cientistas franceses Charles Renard e Arthur Krebs, que levaram os créditos, enquanto Júlio Cezar morria pobre e sem o devido reconhecimento. A principal fonte para Carlos Correia Santos reconstituir o drama do inventor foi o livro Memórias Sobre a Navegação Aérea, de autoria do professor Luis Carlos Bassalo Crispino, da Universidade Federal do Pará. Conta Correia:

- Foi graças à paixão dele por Júlio Cezar que consegui coletar os dados que eu precisava para compor a trama. Ele guarda um acervo precioso sobre esse incrível personagem.

Crispino considera o texto de Correia uma importante ferramenta de divulgação dos feitos do navegador, e relata que, ao assistir ao ensaio geral, viveu intensa sucessão de emoções ao ver "a história de Júlio Cezar Ribeiro de Souza representada de maneira absolutamente poética, criativa e comovente", sentindo-se como "parte do espetáculo, imerso na atmosfera criada durante a peça, vivendo cada emoção, cada sentimento. Uma sensação de ser transportado até mesmo para além da própria história de Júlio, fazendo refletir sobre o sentido da existência humana, de como e quando, ao longo da vida, em nossos pensamentos, temos nossos diálogos com sonhos, idéias, verdade, loucura e eternidade”.

Com o texto de Júlio Irá Voar, Carlos Correia Santos obteve o primeiro lugar no Prêmio Funarte de Dramaturgia em 2004. A peça estreou em novembro de 2006, numa montagem do Grupo Palha, de Belém, dirigida por Paulo Santana. Agora em 2009, Santana renovou elenco e proposta cênica do espetáculo, tendo em vista as apresentações que o grupo fará em Brasília em agosto: uma temporada no Teatro do Espaço Cultural da Caixa, e uma sessão especial na sede do Ministério da Ciência e Tecnologia. Em outubro, Júlio Irá Voar participa em Belém da programação oficial da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, cujo tema este ano é a Ciência no Brasil.

Um comentário:

BadMom disse...

WHERE did you find those WINGS?!?! I WANT SOME!!!